quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Diluição das Soluções

Diariamente nós diluímos soluções. Xarope de groselha ou um suco concentrado são diluídos em água para obtermos um suco com sabor agradável; colocamos um pouco água no café forte para torná-lo mais fraco; diluímos bebidas com água tônica; na cozinha, diluímos detergente com água na lavagem de louças. Percebemos então que o fenômeno da diluição está constantemente presente em nossas vidas.



Diluir uma solução significa acrescentar solvente a essa solução. E como vimos nos exemplos, esse solvente é basicamente a água. Analogicamente aos exemplos do dia a dia, no laboratório, as soluções vem sempre em altas concentrações, sendo (quase) necessária a diluição, a fim de obtermos soluções mais adequadas. Na diluição, a quantidade de soluto permanece inalterada. A adição de solvente a solução produz uma diminuição da concentração, deixando a solução mais diluída. Já a retirada de solvente de uma solução produz um aumento da concentração, deixando a solução mais concentrada.

Consideremos agora duas soluções:

. para solução inicial, temos: C = m1
                                                      V 
. para solução final, temos: C’ = m1
                                                    V’  

Uma vez que m1 é constante, chegamos a: CV = C’V’

Essa fórmula nos mostra uma seguinte definição:
 - volume e concentração de uma solução são inversamente proporcionais.


Diluição das soluções no vestibular

(UnB) A partir de uma solução de hidróxido de sódio (NaOH) na concentração 25g/L, deseja-se obter 125 ml dessa mesma solução na concentração 10g/L. Calcule, em mililitros, o volume da solução inicial necessário para esse processo. Despreze a parte fracionária caso exista.

GABARITO: 50 ml
C1 = 25g/L = 0,025g/ml               CV = C’V’
C2 = 10g/l = 0,010g/ml
V2 = 125 ml
0,025.V1 = 0,010.125                   V1 = 1,25 = 50 ml
                                                             0,025


(Unirio) Para efetuar o tratamento de limpeza de uma piscina de 10.000L, o operador de manutenção nela despejou 5L de solução 1 mol/L de sulfato de alumínio, Al2(SO4)3. (massas atômicas: Al = 27u; O = 16u; S = 32u). Após agitar bem a solução, a concentração do sulfato de alumínio, em g/L, é de:

a) 0,171
b) 1.46.10-6
c) 5.10-5
d) 1,710
e) 684.10-3

GABARITO: LETRA “A”
CV = C’V’ => 5.1 = C’.10000 => C’ = 0,0005
A massa de sulfato de alumínio é de 342g/mol. Logo, temos:
1 mol de Al2(SO4)3 --------------- 342g
0,0005 mol ------------------ X
X = 0,171 g que estarão em 1L de solução


(UFSC) Um aluno muito interessado em química, resolveu ler uma embalagem que foi jogada fora de um laboratório. Essa embalagem tinha capacidade de 40 ml. Nesse rótulo estavam escrito:

. Densidade: 1,18g/ml
. Contém 36,5 % de massa de HCl

Ao saber dessas informações, resolveu calcular como seria a diluição do HCl com 200 ml água. De posse das informações, dê como resposta final a soma dos itens corretos.

(01) O ácido citado é um ácido muito forte
(02) Em 100% de solução teremos 1.180g de HCl
(04) O nome desse ácido é ácido cloroso
(08) A massa em gramas de HCl é 431
(16) A água junto com HCl forma um sistema bifásico, que tem uma fase do ácido e outra da água
(32) O número de mols na solução é 11,8
(64) A molaridade final é inferior a 2,5mol/L
Soma ( )

GABARITO: 01 + 02 + 32 + 64 =
(01) C
(02) C – (consideramos 1 litro de solução) d = m => 1,18 = __m__  = 1.180g
                                                                           V                   1000
(04) E - o nome certo é ácido clorídrico
(08) E – temos então:
100% da solução ----------------- 1.180g
36,5% da solução -----------------   X
X = 430,7g de HCl
(16) E – como está em solução, o HCl e a água formarão um sistema monofásico (com somente uma fase)
(32) C – 36,5 g ----------- 1mol
              430,7 -------------- X
X = 11,8 mols de HCl
(64) C – Como partimos de 1 litros de solução, a concentração será de 11,8mol/L. Fazendo a diluição temos:
CV = C’V’ => 40.11,8 = 200.C’ => C’ = 2,36mol/L


(UFES – ES) Submetendo-se 3L de solução 1M de cloreto de cálcio (CaCl2) à evaporação até um volume final de 400 ml, sua concentração molar será:

a) 3,00
b) 4,25
c) 5,70
d) 7,00
e) 7,50

GABARITO: LETRA “E”
CV = C’V’ => 1.3 = 0,4.C’ => C’ = 7,5mol/L

-----
Autor: Antenor Nagi Passamani